Em todo o Brasil, 101 voos são cancelados por falta de combustível nos aeroportos

Em todo o Brasil, 101 voos são cancelados por falta de combustível nos aeroportos

Pelo menos 101 voos em todo o país já foram cancelados neste sábado em decorrência da falta de combustível de aviação nos aeroportos, causada pela greve dos caminhoneiros. As informações estão em balanços divulgados pelas companhias aéreas e pelos aeroportos. A maior parte dos voos cancelados são da Latam (50) e da Avianca (27). A Azul cancelou 17 voos.

Quatorze aeroportos da Infraero ficaram sem combustíveis (incluindo o terminal de seis capitais: Palmas, Goiânia, Maceió, Recife, Aracaju e João Pessoa). Terceiro maior do país, o aeroporto de Brasília recebeu seis caminhões de querosene de aviação no início da tarde, após 30 horas sem combustível. Essa quantidade de combustível só representa 6% das reservas do tribunal.

Entre os terminais que recebem querosene de aviação normalmente estão os aeroportos do Galeão e Santos Dumont, no Rio, e Congonhas e Guarulhos, em São Paulo.

A Infraero disse estar em contato com órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa.

“Os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo”, informou a empresa.

Aviões que pousarem no aeroporto de Brasília e que necessitem de abastecimento ficarão em solo até o fornecimento de combustível ser normalizado. A orientação é para que os passageiros, antes de ir aos aeroportos, busquem informações com a sua companhia aérea. Ainda não há previsão de regularização do estoque de combustível.

A Latam disse que os passageiros dos voos cancelados estão recebendo toda a assistência necessária. A companhia enviou um Boeing 777 de Guarulhos a Brasília para apoiar o transporte de 385 passageiros e cargas aéreas no aeroporto da capital federal. A aeronave seguiu carregada com 40 toneladas adicionais de combustível, que será “destanqueado” para abastecer outras aeronaves da companhia na cidade.

A Azul informou que disponibiliza o cancelamento ou a remarcação do bilhete para voar até dia 31 de maio para os clientes impactados pela greve. A Avianca disse que acompanha o cenário de perto e está focada em minimizar os impactos causados pela greve a fim de garantir, acima de tudo, a segurança das operações e o melhor atendimento aos nossos clientes.



EspaçoPB - O Globo

O que estão comentando...

Comentários