Parlamento de Israel confirma dissolução e antecipa eleições para 9 de abril

Parlamento de Israel confirma dissolução e antecipa eleições para 9 de abril

O Parlamento de Israel aprovou nesta quarta-feira (26), em segunda e terceira instâncias, um projeto de lei para dissolver a assembleia e organizar eleições antecipadas em 9 de abril. Os parlamentares da coalizão do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu haviam aprovado a medida em uma primeira rodada de votação dois dias antes.

Com 102 votos a favor e 2 contra, esta lei entra em vigor imediatamente, com o Parlamento dissolvido até as eleições, quatro anos após a última eleição em março de 2015.

O governo permanece, mas não pode tomar decisões que exijam o consentimento do Parlamento, como o voto de novas leis.

A decisão foi motivada por embates quanto a uma lei que permite recrutar judeus ultraortodoxos, que eram isentos do serviço militar. Os partidos ultra-ortodoxos da coalizão exigem que a lei seja atenuada, enquanto a maioria no Parlamento não quer fazer concessões.

Divisões internas

Benjamin Netanyahu, agora em seu quarto mandato como primeiro-ministro, vem governando com uma pequena maioria de 61 cadeiras no parlamento de 120 integrantes. Ele lidera o partido de direita Likud.

Há meses a coalizão do governo vem lidando com divisões internas. Em novembro, o ministro da Defesa Avigdor Lieberman renunciou em protesto contra uma trégua anunciada com os palestinos da Faixa de Gaza.

Sob a lei isralense, uma eleição nacional deveria ocorrer até novembro de 2019.



EspaçoPB - G1

O que estão comentando...

Comentários